Indiana Dias e a Trilha das 7 Praias

_MG_8243No feriado de Finados fui à Ubatuba para percorrer pela segunda vez a Trilha das 7 Praias, bastante famosa no ecoturismo paulista. Apesar de já ter publicado o álbum, o post demorou por causa de muitas viagens próximas. Logo depois de voltar de Ubatuba eu fui ao Pico do Itaguaré e à Pedra da Mina, ambos com posts já publicados. Talvez a faça uma terceira vez, pois ainda não consegui pegar um agência onde o barco estava incluso. Fui nessa segunda vez para testar um equipamento de fotografia, que queria usar na subida ao Itaguaré, e porque agência que usei antes era uma droga (levou muita gente e poucos guias).

_MG_8151A trilha começa na Praia da Lagoinha, entrando em um condomínio fechado, mas com acesso para visitantes. Ela é leve, mas longa, com cerca de 10 Km e trechos em praia e mata atlântica, ainda que bem aberta. Há algumas descidas de barranco com corda, mas nada que assuste. Ainda que eu estivesse vestido para trilha (calça, bastões, …) ela pode ser percorrida numa boa com roupas leves. A trilha acaba na Praia da Fortaleza, que não é exatamente a mais bonita, mas nesse momento a fome é tanta que só queremos mesmo roupa limpa e comida. As outras praias valem uma parada ou caminhada mais lenta.

_MG_8192Foi um dia de muito sol e tivemos apenas alguns poucos períodos de chuva. Houve visita a uma vila caiçara, onde provamos uma cachaça local e parada em quiosque para comer milho cozido. Dá tempo de se banhar com tranquilidade, desde que se chegue cedo, senão a trilha vira uma correira (se for bate e volta). Durante o percurso é possível avistar barcos pesqueiros e também turísticos, bastante coloridos e que parecem estar em quadro com a água verde ao fundo.

_MG_8183É uma pena que também tenhamos que passar pelos efeitos que a presença do homem causa no litoral. A trilha tem, na verdade, nove praias porque alguns moradores ilegalmente retiraram rochas locais para usar em construção, abrindo caminho para o mar invadir certas áreas e criando praias artificiais. Agora é torcer para o efeito das marés e ondas não causarem erosão nesses pontos que era protegidos pelas rochas. De qualquer forma a trilha vale a caminhada e é até mais divertida se não for na correria, naquela oportunidade em que se passa o final de semana em Ubatuba. Chegue sexta-feira à noite, durma bem, faça no sábado com bastante calma e aproveite bem o domingo antes da volta.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


*